Tesouro Direto

O que é o Tesouro Direto

Tesouro Direto é uma oportunidade para você realizar uma poupança de longo prazo com rentabilidade real e liquidez garantida pelo Tesouro Nacional.

Considerado de baixo risco pelo mercado financeiro, este é um programa de investimento em títulos públicos, criado pelo Tesouro Nacional, que capta recursos para o financiamento da dívida pública e financia atividades do Governo Federal como educação, saúde e infraestrutura.

Fácil de negociar via internet

Após fazer sua adesão ao produto, você acessa a página onde estão disponíveis todos os títulos oferecidos pelo Tesouro Nacional, escolhe o título e a quantidade desejada e confirma sua compra.

Se quiser vender seus títulos, você pode fazê-lo pelo próprio site, com recompra garantida pelo Tesouro Nacional.


Entenda em 3 minutos como funciona o Tesouro Direto

O Tesouro Direto é uma opção simples e segura para você investir e com uma alternativa de baixo risco. Você escolhe se quer aplicar com uma rentabilidade vinculada à taxa de inflação (IPCA), à Selic ou já sabendo o retorno no momento que investe. Ele não tem carência e pelo Itaú é possível aplicar com segurança e comodidade. Assista ao vídeo acima.


Conheça os títulos

O Tesouro Direto permite que o investidor aplique em títulos corrigidos pela taxa de inflação (IPCA), pela Selic ou com taxas prefixadas e conhecidas no momento da aplicação. Entenda a diferença entre cada um deles.


Tipos de títulos públicos Rentabilidade Características
Tesouro Prefixado (LTN)   Juros predefinidos Juros + principal no vencimento
Tesouro Prefixado com Juros Semestrais (NTN-F)   Juros predefinidos Juros semestrais e o principal + juros no vencimento
Tesouro SELIC (LFT)   SELIC Juros + principal no vencimento
Tesouro IPCA+
(NTN-B PRINCIPAL)  
Inflação (IPCA) + juros Juros + principal no vencimento
Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais(NTN-B)   Inflação (IPCA) + juros Juros semestrais e o principal + juros no vencimento





Nossa recomendação

Confira os títulos que o Itaú recomenda para cada uma de suas três reservas.

Saiba mais sobre as três reservas  

Nossa recomendação

Para conferir os títulos que o Itaú recomenda para cada uma de suas três reservas, acesse nosso site inserindo seus números de agência e conta no canto alto direito da página. Caso ainda não tenha cadastro, faça-o. É rápido e você não paga nada.

Dia a dia

Tesouro SELIC 2023 (LFT)

Aposentadoria

Tesouro IPCA+ 2024/2035/2045 (NTN-B Principal)

Construção de patrimônio

Tesouro SELIC 2023 (LFT)

Tesouro Prefixado 2020 (LTN)

Tesouro IPCA+ 2024 (NTN-B Principal)

Dia a dia

Aposentadoria

Construção de patrimônio

Saiba mais sobre as três reservas  

Invista agora no Tesouro Direto com a Itaú Corretora

Você consegue investir no Tesouro Direto pelo Itaú em apenas 3 passos. Assista ao vídeo ao lado e confira como aplicar.

Você também fica sabendo em quanto tempo ocorre o débito da operação em sua conta e quanto demora para que os títulos estejam disponíveis em sua carteira de investimentos



Passo a passo

Se preferir, navegue pelo passo a passo para entender como realizar sua aplicação. O processo é simples e rápido.

1

Acesse

Faça o login do site da Itaú Corretora e clique no menu "Compre > Tesouro Direto".

Próximo passo
2

Defina sua aplicação

Selecione o título e indique o valor que quer investir, respeitando o mínimo de
R$ 30 ou 1% do valor do título. Depois, clique em "Continuar'.

Próximo passo
3

Confirme

Confirme os dados da operação e informe a senha do cartão para concluir a compra

Recomeçar



Estratégias



Entenda o que levar em consideração em relação às condições de mercado antes de escolher um dos títulos disponíveis.

Oscilação



Embora o Tesouro Direto seja um investimento de renda fixa, os títulos estão sujeitos a oscilações até a data do vencimento. Assista ao vídeo e entenda melhor.


Impostos e taxas

Haverá incidência de imposto de renda retido na fonte (ou seja, a Itaú Corretora recolhe por você, não se preocupe), sobre a remuneração produzida pelos títulos no resgate antecipado, vencimento ou pagamento de cupom.

Os percentuais são regressivos em função do prazo da aplicação:

22,5% para aplicações entre zero e 180 dias
20% para aplicações entre 181 e 365 dias
17,5% para aplicações entre 366 e 720 dias
15% para aplicações superiores a 720 dias

O IOF só é aplicado quando ocorrer o resgate com menos de 30 dias da data da aplicação.

Para saber mais sobre os impostos e taxas cobrados sobre seus investimentos no Tesour Direto, assista ao vídeo ao lado ou navegue pelas perguntas frequentes abaixo.



Comodidade: conheça a compra programada

A Itaú Corretora oferece ferramentas que te ajudam investir no Tesouro Direto com mais facilidade e disciplina.

Se você escolheu o Tesouro Direto para formar sua poupança e quer investir um pouco todos os meses, use a Compra Programada. Com ela, você agenda suas aplicações para que ocorram todos os meses, no mesmo dia e valor. Para garantir que o seu dinheiro nunca ficará parado, opte também pelo Reinvestimento Automático. Assim, toda vez que você receber recursos provenientes do Tesouro, seja no vencimento do título ou cupons semestrais, o montante será reinvestido automaticamente.

Há ainda a Venda Programada, ferramenta que permite agendar vendas recorrentes, definidas por você.

Assista ao vídeo ao lado e saiba mais.


Compartilhe

Poste estas informações sobre o programa Tesouro Direto em suas redes sociais


Perguntas frequentes

O que são títulos públicos?

São títulos emitidos pelo governo brasileiro a fim de captar recursos para financiar a dívida do Brasil e investir em saúde, educação e infraestrutura. É um investimento considerado de baixo risco pelo mercado financeiro e uma alternativa para o pequeno investidor, já que é possível fazer aplicações a partir de R$ 30, de acordo com as regras do Tesouro Direto.

Além disso, representa uma oportunidade para diversificar investimentos, realizando uma poupança de longo prazo com rentabilidade real e liquidez garantida pelo Tesouro Nacional.

Quais são os títulos públicos disponíveis?

Tesouro Prefixado (LTN): oferecem uma taxa prefixada, definida no momento da compra. Assim, o investidor sabe na hora os juros que serão pagos no momento do vencimento. Esse tipo de título não paga juros semestrais (os chamados "cupons").

Tesouro Prefixado com Juros Semestrais (NTN-F): título com rentabilidade prefixada, acrescida de juros definidos no momento da compra. Os pagamentos dos juros são feitos semestralmente e o pagamento do principal é feito no vencimento.

Tesouro IPCA (NTN-B Principal): tem rentabilidade vinculada à variação do IPCA, acrescida de juros definidos no momento da compra. A diferença, aqui, é que o pagamento é único e feito apenas na data de vencimento.

Tesouro IPCA com Juros Semestrais (NTN-B): título com rentabilidade vinculada à variação do IPCA, acrescida de juros definidos no momento da compra. Os pagamentos dos juros são feitos semestralmente e o pagamento do principal é feito no vencimento.

Tesouro Selic (LFT): têm sua rentabilidade vinculada à taxa Selic. Por serem pós-fixados, o investidor saberá a remuneração somente ao final do prazo, pois ela dependerá do comportamento da taxa básica da economia. O pagamento do principal e dos juros se dá apenas na data de vencimento.

Quais são os horários para compra e venda de títulos?

Compra

  • As compras de títulos públicos do Tesouro Direto podem ser realizadas todos os dias úteis, das 9h30 às 18h. 
  • Em dias úteis das 18h às 5h e nos fins de semana e feriados estão disponíveis operações de agendamento de compras ou de vendas. O mercado fica fechado entre as 5h às 9h30, sem possibilidade de realização de qualquer tipo de operação
  • Aos finais de semana, as compras podem ser realizadas no período entre 9h30 de sexta-feira e 5h de segunda-feira, ininterruptamente.
  • As compras, no entanto, podem ser suspensas ao longo do dia, por tempo indeterminado, caso o Tesouro Nacional julgue conveniente devido às condições de mercado.
  • Para compras feitas entre 0h e18h, o débito financeiro em sua conta acontece no dia útil seguinte e os títulos aparecem em sua carteira em 2 dias úteis, após as 17h.
  • Já para compras realizadas entre 18h e 23h59 (agendamento), o débito em sua conta será feito em D+2, ou seja, dois dias úteis após a realização da operação e os títulos aparecem na carteira no dia útil seguinte ao débito, ou seja, três dias após a compra.

Venda

  • As vendas de títulos públicos do Tesouro Direto podem ser realizadas todos os dias úteis, das 9h30 às 18h. 
  • Em dias úteis das 18h às 5h e nos fins de semana e feriados estão disponíveis operações de agendamento de compras ou de vendas. O mercado fica fechado entre as 5h às 9h30, sem possibilidade de realização de qualquer tipo de operação.
  • Aos finais de semana, as vendas podem ser realizadas no período entre 9h30 de sexta-feira e 5h de segunda-feira, ininterruptamente.
  • Excepcionalmente, nas quartas-feiras em que houver reunião do Copom (Comitê de Política Monetária), é permitida apenas a venda de Tesouro Selic (antiga LFT).
  • Para vendas entre 0h e 18h, o crédito será feito em sua conta até as 15h do dia útil seguinte;
  • Vendas feitas entre 18h e 23h59 (agendamento) terão crédito do dinheiro em conta em dois dias úteis, também até as 15h.

Como realizo compras ou vendas de títulos públicos no site da Itaú Corretora?

O primeiro passo é acessar o menu Compre > Tesouro Direto e assinar o termo de adesão ao Tesouro Direto.

Compra

  • Acesse a tela de Compra, confira os títulos públicos disponíveis e escolha aquele que deseja comprar.
  • Após selecionar o título escolhido, informe o valor que deseja investir na coluna "Valor a investir". Você pode fazer compras a partir de R$ 30, desde que isso corresponda a pelo menos 1% do valor total do título.
  • Clique em "Continuar"
  • Na próxima tela, informe sua senha do cartão ou sua assinatura eletrônica e confirme a operação.
  • Importante: no caso de clientes correntistas do Itaú Unibanco, o débito das compras de títulos públicos é efetuado sempre em conta-corrente, mesmo que você utilize o serviço da Conta Corretora. No caso de cliente não correntista, é preciso ter em sua conta gráfica os recursos necessários para o pagamento da operação.
  • Para compras feitas entre 0h e18h, o débito financeiro em sua conta acontece no dia útil seguinte e os títulos aparecem em sua carteira em 2 dias úteis, após as 17h.
  • Já para compras realizadas entre 18h e 23h59 (agendamento), o débito em sua conta será feito em D+2, ou seja, dois dias úteis após a realização da operação e os títulos aparecem na carteira no dia útil seguinte ao débito, ou seja, três dias após a compra.

Venda

  • Acesse a tela de Venda de títulos públicos. Informe a data para a realização da venda dos seus títulos e, depois, a quantidade a ser vendida.
  • É possível vender múltiplos de 0,01 (ou 1%) de cada título. Lembre-se de que as vendas no Tesouro Direto acontecem entre as 9h30 e as 5h e, nos dias de reunião do Copom, só é possível vender Tesouro Selic (antiga LFT).
  • Clique em “Continuar” e, na tela seguinte, informe a senha de seu cartão ou sua assinatura eletrônica para confirmar a operação.
  • Importante: o crédito da venda de seus títulos será realizado sempre em sua conta de liquidação cadastrada na Itaú Corretora ou, no caso de cliente não correntista, em sua conta gráfica.
  • Para vendas entre 0h e 18h, o crédito será feito em sua conta até as 15h do dia útil seguinte.
  • Vendas feitas entre 18h e 23h59 (agendamento) terão crédito do dinheiro em conta em dois dias úteis, também até as 15h.

Qual a quantidade de títulos públicos que posso comprar?

O volume mínimo de compra é de 1% de um título (ou 0,01 título), desde que isso corresponda ao valor mínimo de R$ 30.

O valor máximo mensal de compras é de R$ 1 milhão. Não há limites quanto à manutenção de estoque de títulos públicos, ou seja, o investidor pode acumular o valor referente à aquisição do limite máximo todos os meses.

Nos agendamentos, sejam de compras ou reinvestimento de principal ou cupom de juros, a parcela mínima a ser investida também é de 1% (ou 0,01 título) do preço unitário de cada título, desde que respeitado o limite financeiro mínimo de R$ 30.

O limite financeiro máximo para compras programadas é o mesmo adotado para as compras tradicionais. Não há limite financeiro para vendas.

Como é a tributação dos títulos públicos?

O Imposto de Renda cobrado sobre as operações realizadas no Tesouro Direto é o mesmo que incide sobre as operações de renda fixa, recolhido na fonte, sob as seguintes alíquotas:

I – 22,5% em aplicações com prazo de até 180 dias;
II – 20% em aplicações com prazo de 181 dias até 360 dias;
III – 17,5% em aplicações com prazo de 361 dias até 720 dias;
IV – 15% em aplicações com prazo acima de 720 dias.

A incidência do imposto de renda ocorrerá sempre que você receber rendimentos no pagamento de cupom de juros, no vencimento ou na venda antecipada de títulos

Incidirá também o IOF no vencimento ou venda antecipada dos títulos cuja aplicação tenha prazo inferior a 30 dias.

O recolhimento desses impostos é responsabilidade do Agente de Custódia.

Importante: há incidência de IR sobre os rendimentos financeiros auferidos na venda antecipada, no pagamento de cupom de juros (o IOF não incide sobre os cupons de juros; somente o IR) e no vencimento dos títulos. Para efeito de incidência de IR, o prazo é contado a partir da data de início da aplicação. Isso significa que, ao realizar a venda de um título, o IR incide sobre o título mais antigo em sua carteira.

Quais são os custos para o investimento em títulos públicos?

Os títulos públicos possuem taxas de agente de custódia e taxa da BM&FBovespa.

  • As taxas de agente de custódia são cobradas no momento da compra de títulos públicos. A taxa cobrada pela Itaú Corretora em operações no Tesouro Direto é de 0,3% ao ano para clientes Personnalité e 0,5% ao ano para clientes Itaú e Itaú Uniclass ou não correntistas do Itaú Unibanco.
  • Há ainda uma taxa de custódia da BM&FBovespa de 0,30% ao ano sobre o valor dos títulos, referente aos serviços de guarda dos títulos.

No ato da aplicação, o cliente paga a taxa de custódia integral da Itaú Corretora. Após o primeiro ano, a cobrança passa a ser dividida em duas parcelas semestrais: janeiro e julho. Já a taxa de 0,30% ao ano da BM&FBovespa também é dividida em duas parcelas: janeiro e julho. A cobrança sempre ocorre sobre o saldo no investimento (principal + juros).

Qual é o prazo de liquidação das operações com títulos públicos?

Você deve ficar atento ao horário em que realizou a operação de compra.

Para compras feitas entre 0h e18h, o débito financeiro em sua conta acontece no dia útil seguinte e os títulos aparecem em sua carteira em 2 dias úteis, após as 17h.

Já para compras realizadas entre 18h e 23h59, o débito em sua conta será feito em D+2, ou seja, dois dias úteis após a realização da operação e os títulos aparecem na carteira no dia útil seguinte ao débito, ou seja, três dias após a compra.

Para vendas entre 0h e 18h, o crédito será feito em sua conta até as 15h do dia útil seguinte; vendas feitas entre 18h e 23h59 terão crédito do dinheiro em conta em dois dias úteis, também até as 15h.


Saiba mais sobre os horários do Tesouro Direto aqui.

O que acontece se eu não tiver recursos para o pagamento da minha compra no Tesouro Direto?

Fique atento a seu saldo em conta-corrente (no caso de correntistas) ou conta corretora (no caso de não correntistas) na data de liquidação de sua compra de títulos públicos. Lembre-se de que, no caso de correntistas, o débito da compra de títulos públicos é sempre feito diretamente de sua conta-corrente cadastrada na Itaú Corretora, mesmo que você utilize a conta corretora para outras operações.

Caso não haja recursos para o pagamento no dia previsto, você receberá um e-mail diretamente do Tesouro Direto informando sobre a impossibilidade de liquidação da compra e a operação será cancelada.

Caso isso aconteça uma segunda vez, ou seja, você realize uma compra, mas não disponibilize os recursos para o pagamento, além do e-mail e do cancelamento da operação, você receberá uma suspensão de 15 dias por parte do Tesouro Direto, o que impossibilita novas compras no período.

Um terceiro e um quarto atrasos no pagamento implicam, respectivamente, em suspensão por 30 e 60 dias, além do recebimento do e-mail de aviso do Tesouro e do cancelamento da operação. Passados esses 60 dias de suspensão, você poderá voltar a realizar compras de títulos do Tesouro Direto, sujeito às mesmas sanções no caso de novos atrasos.

Quais os riscos de investir no Tesouro Direto?

O investimento em títulos públicos do Tesouro Direto é normalmente considerado de baixo risco. Vale lembrar, no entanto, que nenhum investimento está completamente livre de riscos e conhecê-los é importante na hora de sua decisão de investimento.

O Tesouro Direto é um investimento em renda fixa. Só que isso não significa que os preços e taxas dos títulos públicos não possam variar ao longo do tempo.

De modo geral, o investidor que comprar um título público e o mantiver até seu vencimento vai receber a rentabilidade acordada no momento da compra. Caso faça a venda antecipada – ou seja, antes da data de vencimento do título – receberá o valor correspondente, a preço de mercado, na data de venda.

Mas entre a data da compra de seu título e seu vencimento, uma série de fatores pode influenciar sua variação de preço de acordo com as condições do mercado. Um desses fatores é a taxa de juros vigente no momento.

Em um cenário de juros em alta, o valor do título prefixado cai. Já no cenário oposto, de juros em queda, há aumento no valor do título prefixado.

Por isso, quando você compra um título público e vende antes de seu vencimento, você pode ter um retorno diferente daquele informado na hora da compra. Por outro lado, quando você fica com o título até seu vencimento, você recebe o valor correspondente à rentabilidade informada no momento da compra, independentemente das variações ao longo do tempo.

Você também precisa saber que outro fator que pode influenciar o preço dos títulos públicos é seu prazo. De maneira geral, títulos com prazos mais curtos têm menor variação de preços, enquanto aqueles com prazos mais longos são mais sensíveis às alterações nas taxas de juros.

Além disso, existe o risco de crédito, ou seja, o risco de o devedor não honrar sua dívida. Os títulos públicos são emitidos pelo governo federal e, no caso, o risco seria o governo não conseguir entregar a rentabilidade acordada, o que depende da conjuntura econômica do momento.

Como saber se o investimento em títulos públicos é recomendado para mim?

Justamente por ser considerado um investimento de risco mais baixo e com características mais conservadoras, o Tesouro Direto é recomendado para quem quer montar uma carteira de renda fixa correndo menos riscos.

No entanto, há diversos tipos de títulos públicos disponíveis, cada um deles com características específicas. Para saber qual o mais adequado para você, é preciso considerar seus objetivos, horizonte de tempo de investimento, tipo de risco que você está disposto a correr e seu perfil de investidor.

Também é importante verificar os prazos de vencimentos dos títulos. Caso você vá precisar do dinheiro investido de volta em pouco tempo, títulos com prazo longo não são recomendados, pois quando você vende seu título antes do vencimento, pode ter um retorno diferente do informado na hora da compra.

Para saber qual seu perfil de investidor, clique aqui.

É possível agendar compras ou vendas de títulos públicos?

Sim, na Itaú Corretora você conta com a facilidade da Compra Programada de títulos do Tesouro Direto. Para isso, primeiro acesse o menu Compre > Compra Programada > Tesouro Direto.

Escolha a data em que deseja realizar a operação e indique se essa operação deve acontecer apenas no dia especificado ou deve ser recorrente e acontecer mensalmente.

Depois, indique qual título deseja comprar e o valor que quer investir e clique em "Continuar". Na página seguinte, confira as informações de seu agendamento e insira sua senha para confirmar a operação.

Importante: essa funcionalidade está disponível apenas para clientes correntistas do banco Itaú.

No caso do agendamento de vendas, acesse o menu Venda > Tesouro Direto . Você verá a relação de todos os títulos que possui em carteira e estão disponíveis para venda.

Selecione a data da operação e informe a quantidade que deseja vender do título escolhido. Insira sua senha ou assinatura eletrônica para confirmar a operação.

Por que os títulos do Tesouro Direto que comprei não aparecem em minha carteira?

Você deve ficar atento ao horário em que realizou a operação de compra.

Para compras feitas entre 0h e18h, o débito financeiro em sua conta acontece no dia útil seguinte e os títulos aparecem em sua carteira em 2 dias úteis, após as 17h.

Já para compras realizadas entre 18h e 23h59, o débito em sua conta será feito em D+2, ou seja, dois dias úteis após a realização da operação e os títulos aparecem na carteira no dia útil seguinte ao débito, ou seja, três dias após a compra. Saiba mais aqui.

Como reinvisto os rendimentos obtidos com meus títulos públicos?

No menu Carteira > Tesouro Direto você pode agendar o reinvestimento tanto do principal investido, na data de vencimento do título, tanto dos juros semestrais recebidos, no caso dos títulos que pagam cupom.

Você pode agendar o reinvestimento total ou apenas de parte do rendimento a ser recebido.

Não tenho uma senha para acessar o site do Tesouro Direto. Como faço?

Ao fazer sua habilitação para investir no Tesouro Direto, você recebe uma senha provisória por e-mail, que você deve utilizar em seu primeiro acesso ao site do Tesouro Direto. Depois, siga as instruções para alterar a senha. No próprio site do Tesouro Direto você consegue gerar uma nova senha caso tenha se esquecido da anterior.

Meu endereço está desatualizado no termo do Tesouro Direto. Como faço para atualizar?

O endereço mostrado em todos os termos e contratos no site da Itaú Corretora é o mesmo que consta em seu cadastro no banco Itaú. Para atualizá-lo, você deve se dirigir à sua agência e providenciar a alteração. Mesmo que essa informação esteja desatualizada, você pode assinar o termo do Tesouro Direto e começar já a investir em títulos públicos. Após a atualização de seus dados no banco, a alteração será refletida no site da Itaú Corretora. Você pode conferir suas informações no menu Perfil > Atualizar dados cadastrais.